Estudando em Paris

Algumas pessoas me perguntam como é viver e estudar/trabalhar (já que essas duas atividades se misturam no meu caso) em Paris na França, então criei esse post para tentar mostrar um pouco do dia-a-dia da cidade, dos custos, da alimentação, entre outros detalhes que me lembrar.

Primeiramente, é Paris. Um dos destinos mais cobiçadas por todos, com os pontos turísticos mais conhecidos e, provavelmente, mais visitados do mundo. Indiscutivelmente linda. A cidade possui uma rede interligada de transportes excelente, com redes de supermercados por todos os lados, o que ajuda muito na alimentação, visto que os restaurantes são bem caros em comparação com o Real. Por ser uma cidade grande, a capital do país, o trânsito as vezes é caótico, sempre lotada de turistas de todas as partes do mundo, um grande consumo material devido as grandes lojas de marcas – que são caríssimas do meu ponto de vista mortal – e um custo de vida elevado para se viver intra-muros (região compreendida no centro da Boulevard Périphérique).

Cartão NaviGo para transportes públicos em Paris.

Antes de continuar, deixa eu explicar minha situação: meu propósito em Paris era realizar uma parte do meu doutorado sob a tutela da minha co-orientadora na Sorbonne – Université Pierre e Marie Curie. Então basicamente meu dia-a-dia era se locomover dos locais de onde estava morando para a universidade e vice-versa. Isso entre as 9h às 17h no geral. A partir daí, eu estava livre para outras atividades. Para se locomover, o metrô de Paris é o que mais utilizei, apesar de ter ônibus, trem e veículos leves sobre trilhos. Como estava morando na cidade, consegui comprar o cartão NaviGo, que dá acesso ilimitado a todos os transportes para todas as cinco zonas da Ille de France por mais ou menos 70 Euros por um mês (incluindo sábados, domingos e feriados). Em casos onde a pessoa precise apenas de uma passagem de ida e volta por dia, comprar os bilhetes unitários é o mais vantajoso financeiramente.

Paris é uma cidade bem cara como já disse, então escolher um local para se morar dependendo do quanto de recurso você tem disponível, não é uma tarefa fácil. Morei em duas localizações diferentes: Maison-Alfort e Les Lilas, mas fiquei algumas noites em Montreuil, Belleville e Bercy. Todos estes locais são bons locais para se morar ou se hospedar, mas isso é muito pessoal. Basicamente, esses locais tem tudo o que você precisar perto, com exceção dos domingos onde quase tudo está fechado. No meu caso eu gostei muito de morar em Maison-Alfort, pois é um lugar bem agradável e bonito. Les Lilas e Bercy são ótimos lugares também para se viver, não tão aconchegante quanto Maison-Alfort, mas te dão ótimas opções inclusive nos finais de semana. Particularmente eu não gosto da região de Belleville (perto da Sacré Coeur), tem tudo, chega a ser uma região até bonita, mas é muita confusão para quem quer viver ares diferentes. Definitivamente eu não recomendo Montreuil, a localização não é tão agradável quanto os demais.

Université Pierre et Marie Curie (UPMC) – Sorbonne Université

Um dos pontos e dúvidas que mais deixam os estudantes curiosos, e confesso que também me deixou, é sobre a diferença entre as universidades no exterior, de renome como a Sorbonne por exemplo, e as universidades no Brasil. No geral, as duas universidades são bem parecidas. Me parece que aluno é aluno e professor é professor em qualquer lugar. Tem aqueles que querem estudar e os que não querem, tem os que se comprometem em dar aula e gostam e os professores que não, em semana de prova todo mundo fica desesperado e estuda em cima da hora. Uma curiosidade é que lá, eles sempre tem uma semana de recesso após as provas, o que é interessante, e tenho certeza que muitos iriam desejar isso por aqui. Os alunos tem grêmios, atléticas, grupos de música, e infinitos laboratórios e muitas atividades extensionistas envolvendo a comunidade. O que deixa a universidade com um ar mais dinâmico e de que pesquisa, ensino e extensão estão acontecendo realmente.

Aliás, a infraestrutura é um diferencial entre ambas as universidades. Não que seja tão diferente em questões de recursos e materiais pois eles tem computadores, mobiliário, recursos didáticos bem semelhantes aos nossos, mas sim em conservação e acesso a recursos para pesquisas e estudos. Recursos para apresentação de trabalhos em conferências e congressos é um diferencial entre cá e lá. Não vemos pichações nas dependências da universidade, o ambiente é limpo e agradável, e temos a impressão de que as coisas funcionam melhor, mas no geral, não muito melhor. Os professores dão aulas, são pontuais, na minha experiência, as orientações são bem similares as que acontecem por aqui, e, definitivamente, as pessoas são mais respeitosas e educadas, tanto alunos quanto professores. Uma outra coisa importante nos tempos de hoje é que os franceses são politicamente bem ativos, então não estranhe se encontrar panfletos contra e a favor de governos pelo campus.

Um dos pátios da UPMC – Sorbonne.

Devido a segurança, o acesso é um pouco rígido e tem um sistema de controle de acessos a portas eletrônico com chaves inteligentes. Na visão de alguém de Computação, é super interessante ver como o acesso às salas e laboratórios são feitos dessa maneira. Na entrada principal, sempre há seguranças revistando malas e mochilas, e detectores de metais. É um pouco estranho para brasileiros já que não temos essa realidade, mas me parece de comum acordo que é necessário pela visão dos franceses. No geral, Paris é assim em locais públicos como a Torre Eiffel, o Louvre, e outros pontos turísticos.

Para concluir, ao lado da Pierre et Marie Curie é possível caminhar até a Catedral de Notre Dame, tomar um café no quartier Latin, visitar a parte gratuita do Zoológico, e tem supermercados, padarias, e restaurantes. Só para constar, definitivamente a melhor opção de restaurante é o que se encontra dentro da própria universidade. A comida é excelente e o preço ótimo variando de algo próximo de 6 a 10 Euros dependendo da sua escolha (entrada, prato principal e sobremesa). Para aqueles que fazem questão de manter a forma, existem academias bem perto e não tão baratas, mas que atendem a necessidade de quem precisar.

É lógico que existem muitos mais detalhes em cada uma dessas coisas que relatei, mas essa seria uma boa visão geral do que é estudar em uma universidade em Paris. Se alguém tiver a oportunidade, não deixe o medo ou a preocupação te inibir, se programe e vá. A experiência é incrível e vai adicionar muito a sua vida profissional e pessoal.

Deixe uma resposta